Además de las Posibilidades – Capítulo 16 – “El amor y sus complicaciones”

“El amor y sus complicaciones”

Quanto mais o tempo passa, maiores as cobranças. Só nos restam os domingos para descanso. Dedicamo-nos às gravações quase em tempo integral. Praticamente não temos mais vida social. E eu não estou reclamando! Na verdade, sentia falta disso. Acredito que seja o trabalho mais cobrado da minha carreira. Contudo, de todas as produções nas quais trabalhei, essa tem algo de especial: a união da equipe é incomparável! Não me refiro só ao elenco, mas sim a toda produção. Parte de nós estarmos juntos. Procuramos almoçar em grupo, mas claro que nem sempre isso é possível.

Geralmente, quando um núcleo descansa, outro ensaia. E tem sempre alguém no set gravando outras cenas. Quase sempre somos Pietra, Heitor e eu. Justo! Constituímos o núcleo principal, consequentemente maior o trabalho e menor o tempo livre. O fato de gravarmos sempre juntos tem nos tornado bastante próximos. Heitor insiste em dizer que Pietra é interessada em mim. Mas, sendo bem sincero, nunca quis nenhum envolvimento com ela. Não que não me agrade sua companhia, ou que não a admire em diversos aspectos. Todavia ela é o tipo de mulher que eu não posso me envolver por apenas uma noite. Aparenta buscar um relacionamento sério, ser mulher para casar. E para mim, já basta de experiência o fracasso com Samantha!

Por falar na minha ex, suas lembranças já não me incomodam mais. Ela está namorando com o tal modelo e eu desejo que seja muito feliz! Também que pare de ficar me ligando e me enviando mensagens. Só quero, de verdade, que ela siga o seu rumo e me deixe em paz! Se ela escolheu iniciar um novo relacionamento, precisa se desprender de mim de uma vez por todas e focar no loiro, para que dê certo. Em contrapartida, eu sei que não será tão fácil assim esquecer tudo que passamos. Ela ainda gosta de mim. Sua necessidade de estar com alguém a fez dar um passo um tanto impulsivo e não pensar nas consequências. 

O rapaz parece ser do jeito que ela queria que eu fosse. Uma pessoa desprendida, que tem condições e tempo para fazer todas as suas vontades. Inclusive viajar pelo mundo, se quiserem, pois sua profissão o permite isso. Não vou ficar elogiando o namorado da minha ex, mas tenho que concordar que tem lá os seus atrativos. Percebi isso quando estávamos em um coquetel oferecido por uma revista, que tem o foco em artigos sobre novelas. Samantha e ele estavam presentes. Foi aí que eu pude perceber o alvoroço de muitas mulheres. Para elas, ele é um ídolo internacional. Cheguei a pensar que Samantha reagiria da mesma forma como quando estava comigo; que fosse ter alguma crise de ciúmes e fazer seus escândalos. No entanto pareceu nem se importar com o assédio ao seu namoradinho modelo. Ele é um cara que chama atenção, visado por onde passa. Porém alguma coisa ainda a atrai para mim. Também não vou ficar me enaltecendo, mas acho que, na verdade, ela sente falta do meu jeito. Ser um homem latino tem lá as suas vantagens! Não posso negar que ela era muito ardente quando estava comigo. Às vezes transávamos até três vezes no mesmo dia! Talvez o loirinho não esteja conseguindo suprir toda sua veemência. Paciência! O arrependimento é fruto das escolhas ruins que fazemos e agora já é tarde demais para isso. Estou muito bem comigo mesmo para cair na burrice de voltar atrás e aceitá-la novamente. Nunca pensei que a veria implorando para voltar. Eu sou uma pessoa decidida. Antes do episódio do shopping, eu ainda tinha alguma ponta de esperança que as coisas poderiam mudar e por isso ainda me apegava às suas recordações. Porém, quando eu percebi que ela não teve a mínima consideração pelo tempo que ficamos juntos, resolvi virar a página também. Desde então, percebi que foi a melhor escolha que eu fiz. Foram os melhores meses da minha vida! Um pouco conturbados, eu sei, mas renovados.

Voltei a viver! Digamos que eu mudei toda a minha rotina. Comecei a acordar mais cedo para fazer minhas caminhadas, corridas e também para andar de bicicleta. Preciso manter a minha forma. No meu prédio tem uma pequena academia, mas dificilmente eu uso. Prefiro me exercitar ao ar livre e usar a piscina. Meus amigos voltaram a frequentar o meu apartamento para algumas noites de jogatina e saímos juntos, sempre que possível, para dançar e beber. Além disso, agora consigo frequentar assiduamente a casa dos meus pais. Não sei como eu encontro tempo para tudo isso, porém, por incrível que pareça, as horas rendem. Meu pai diz que o segredo da felicidade é fazer o que se gosta, e eu não tenho do que me queixar. Minha vida não é perfeita, entretanto, nesses três meses, me parece ser ideal.

Sinto que consegui achar um equilíbrio em todos os aspectos da minha vida. A novela está indo muito bem! Já sinto a expectativa das minhas fãs antes mesmo da estreia. O perfume segue a mesma linha. A empresa de cosméticos decidiu manter o comercial no ar por mais tempo, devido ao sucesso de vendas. E o projeto do DVD está praticamente completo. Só faltam alguns ajustes, que estão sendo feitos pela gravadora, para logo fazermos o lançamento. Esse DVD é minha realização pessoal e profissional.  As prévias dos clipes estão magníficas!  Suas fotografias estão incríveis, a arte é de primeira qualidade, e eu tenho certeza que a obra final vai superar minhas expectativas. Sinto isso!

No que se refere à área sentimental, da minha maneira vai bem, obrigado… Não combina com o meu novo estilo de vida me envolver em relacionamento sério. Muito menos ser romântico! E para não prejudicar ninguém, tenho procurado sair com mulheres que, assim como eu, buscam apenas um momento de distração, sem criar expectativas e idealizar romance. 

Meu pai, apesar da preocupação, tenta me entender e parece até mais satisfeito por eu não querer um compromisso sério com ninguém. Acho que ainda está um pouco abalado por conta do meu relacionamento com Samantha. Por outro lado, minha mãe se incomoda um pouco. Ou melhor, ela se incomoda muito!  Seu receio é que eu me machuque na minha própria “brincadeira”. Tem medo de que eu me machuque sentimentalmente, e também se preocupa com a minha saúde. Eu acho engraçado a forma como ela demonstra isso. Dona Clarice nunca foi uma mãe cheia de tabus para conversar sobre sexo na minha adolescência, mas é claro que sempre abordou o tema de uma forma educativa. Agora, depois de adulto, quando nos despedimos, ela coloca camisinhas no bolso da minha calça, tentando disfarçar como se eu não fosse perceber. Eu não tiro dela esse prazer de me tratar como se eu ainda fosse um adolescente. Aliás, eu acho magnífico o seu jeito de ser. E entendo o seu cuidado. Talvez, se um dia eu tiver filhos, irei tratá-los da mesma maneira. Mas não posso deixar de achar a situação cômica. Eu, um homem de barba feita, ainda sou seu menininho. Sempre digo alguma coisa para criar um clima mais descontraído. Na última vez que fui a sua casa eu disse:

– Mãe, não precisa ficar colocando camisinhas escondidas no meu bolso. Se quer me dar, eu aceito! E não se preocupe que elas não vão ficar esquecidas na gaveta. Isso é algo que eu jamais deixo passar despercebido.

Ela corou e acenou com a cabeça, mostrando satisfação em saber que ao menos nisso eu sou consciente. Já bastam todas as notícias que ela ouve ao meu respeito. Muitas são verdadeiras, porém outras, pura manipulação da mídia. Eu realmente estou saindo muito. Muito que eu digo é no pouco tempo de trégua que tenho. Sempre que posso me dou ao luxo de conhecer novos ares,  novas pessoas. Mas se me fotografam ao lado de alguma mulher… Pronto! Já a transformam em meu novo affair, e, às vezes, é pura amizade, como com Pietra, por exemplo. Chegaram ao cúmulo de falar que estávamos namorando e nesse dia tive que aguentar por quase meia hora as lamentações de Samantha ao telefone. No início não desmenti, queria saber o que ela falaria. Porém ela parecia tão transtornada que chegou até a me ameaçar dizendo que se vingaria. Então, resolvi negar de uma vez por todas. Não por acreditar que ela fosse capaz de tentar alguma coisa, contudo tive medo de que se encontrasse com Pietra e a envolvesse em algum escândalo. Eu não me perdoaria por isso. Acho que é difícil para ela acreditar e entender que eu estou, de fato, muito feliz solteiro. É meio hilário, ela namorando e preocupada com o meu status de relacionamento. Como são as coisas, depois que eu terminei comecei a conhecê-la de verdade. Eu realmente estava cego.

E quanto ao Rafael, ele já não me condena mais. Pelo contrário, agora Heitor e eu o arrastamos para as nossas saídas. Como diz o ditado: “se não pode com eles, junte-se a eles”. Meu assessor sempre foi misterioso e até um pouco fechado. Eu o entendo, ele se coloca no lugar de um funcionário, apesar de ser muito mais que isso para mim. Todavia, nesses meses, ele parece estar interagindo mais. Está mais alcançável. O que eu achei estranho foi o que aconteceu certo dia em um bar. Estávamos os três conversando sobre assuntos variados e ele disse alguma coisa sobre Dona Vera, minha ex-sogra. Estávamos bêbados e eu não consegui assimilar muito bem as coisas. Não eram comentários comuns. Se ele tivesse dito que ela era atraente ou bonita, eu teria entendido. Contudo parecia se referir ao passado, como se a conhecesse bem.

No dia seguinte, eu estava tomando meu café e viajando em meus pensamentos, quando fui despertado por um toque. Cheguei a me sacudir na cadeira com o susto. Primeiramente, pensei que fosse o meu celular, mas antes de atendê-lo me dei conta que o som vinha do interfone. Estranhei. Como não estou acostumado a receber visitas sem antes ser avisado, dificilmente sou pego de surpresa. O porteiro me disse que era Rafael e imediatamente pedi que o deixasse subir.

– O que houve? Estou atrasado? Esqueci alguma coisa? – Eu disse, assim que abri a porta, já na defensiva.

– Calma, Julian! Bom dia! Posso entrar?

– Claro. Entre! Desculpa, é que você me pegou de surpresa. Está servido?

– Não, obrigado! – Disse, enquanto se assentava à mesa.

–  Fale logo, o que te trouxe aqui tão cedo?

– Você como sempre ansioso. Ok, mas eu não vou falar, porque o que eu trouxe fala por si só. – Disse enquanto colocava sobre a mesa um embrulho.

– Está brincando? É isso mesmo que eu estou pensando? Está pronto?

– Abra e veja!

Senti a felicidade me dominar ainda mais. Estava pronto! O tão esperado DVD, no qual tanto tempo trabalhamos para que ficasse perfeito, realmente superou não só as minhas expectativas, como também as de todos que fizeram a minha ideia dar certo. Finalmente tinha a primeira cópia em mãos. Depois que fiquei solteiro, resolvi mudar toda linha de raciocínio. Modifiquei os detalhes da capa e da apresentação e ainda acrescentei uma música que eu havia composto há muito tempo para minhas fãs. Essa foi a forma que eu achei para me desculpar com todas elas pelo ocorrido no shopping. Inicialmente, todos discordaram da ideia. Disseram que era muito radical, mas, se não fosse por elas, nada teria sentido. Rafael me entendeu e comprou a briga com a gravadora, o que tornou tudo mais fácil.         

Eu queria que fosse algo original. Minhas fãs sempre fazem capas para as páginas de fã-clubes com fotos minhas, então pedi ao meu assessor para organizar um mini concurso. Eu escolheria uma dentre as capas cadastradas para participar de um projeto “secreto”. Ele recebeu muitas fotos, todas dentro do padrão de qualidade e tamanho necessários, e eu escolhi a que mais gostei. Rafael entrou em contato com a criadora do designer escolhido para resolver a parte burocrática, que envolvia o contrato, direitos autorais e acerto de contas. Sim, fiz questão de remunerá-la pelo trabalho. Eu tenho certeza que ela elaborou a arte com todo carinho, sem interesse em receber algo em troca, além da minha gratidão. Entretanto ela merece esse reconhecimento e foi tratada pela minha assessoria como se, de fato, fosse uma profissional. Ao informá-la sobre a real finalidade da arte, Rafael pediu para que ela não divulgasse a notícia, pois eu queria que fosse surpresa. Postei a imagem na minha página oficial do Facebook, agradecendo a participação de todas e avisando que em breve divulgaria mais informações sobre o destino da obra. E por isso esse trabalho é tão importante, é diferente de todos que já realizei. É simples, mas completo e, ao meu ver, está excelente! Deslumbrante!

– Rafael, está esplêndido! 

– Eu concordo! Está mesmo muito bom! Não pensei que ficaria tão bom assim.

– Como eu não pensei nisso antes? E agora?  Qual o próximo passo?

– Já foi dado o próximo passo. Já reservei o espaço para o sábado e hoje se iniciaram as divulgações. Será no Teatro López Tarso, Centro Cultural San Ángel.

– O quê? Como assim? Lá tem que fazer reserva com muita antecedência.

– Eu fiz, Julian. Antes de você decidir mudar a ideia do DVD, eu já havia reservado a data. Depois, fiquei apreensivo, pensei que não acabaríamos a tempo por conta de tantas mudanças, mas, felizmente, deu tudo certo.

É impressionante como Rafael consegue me surpreender constantemente. Ele pensa além, calcula tudo estrategicamente e sempre dá certo. Claro que bateu um desespero. Não pensei que seria tão rápido. No entanto ele se arrisca em agir assim comigo, pois sabe que eu gosto dessas loucuras e que para mim não tem tempo ruim quando se trata de trabalho. Ele já havia conversado com Edgar e não haveria gravação no sábado, para que todos pudessem ir ao teatro me prestigiar.

Saímos juntos para a emissora, mas antes pedi que Rafael fosse comigo a um lugar. Aquele primeiro exemplar já tinha um destino. Honraria àqueles que eu sei que se orgulham por cada degrau que eu conquisto em minha carreira. Meu pai ficou bastante surpreso e minha mãe se emocionou muito. Eu sempre faço isso, destino a primeira cópia dos meus trabalhos a eles. Todavia dessa vez eu os surpreendi, pois na parte interna da capa eu fiz um agradecimento aos dois, por todos esses anos de dedicação a mim. Minha mãe logo se apressou em colocar o DVD para assistir aos clipes e fez uma crítica já na primeira música:

– Julian, não entendi! Se a música fala sobre fã, por que você não convidou uma fã para participar do clipe?

– Mãe, nós pensamos nisso. Rafael pensou até em procurar aquela menina da manhã de autógrafos no shopping para convidá-la, mas depois pensamos melhor. Poderia estragar o projeto do DVD, causar ciúmes nas outras fãs e chegarem até a achar que fiz a música para ela.

– Julian tem razão, Dona Clarice. Nós quisemos ser imparciais, por isso convidamos Pietra. Ela é uma jovem atriz, tem muito talento e por estar trabalhando com Julian, já estão com muita sintonia em cena. Sem contar que tínhamos pouquíssimo tempo para gravar esse clipe e ela se colocou à disposição, sem se limitar aos nossos loucos horários. Acho que ela tem lá os seus motivos, talvez seja uma grande fã de Julian também. – Disse Rafael.

– Quem não é fã do meu amor? Lindo desse jeito!

– Ok, mãe! Chega de bajulações! Precisamos ir. Certo, Rafael?

– Espera, Julian! Agora eu quero saber. Me conte, Rafael! Essa mocinha gosta mesmo do meu filho?

– Acho que mais do que ele imagina.

– Certo, agora nós vamos, de verdade. Qualquer hora a senhora convida o Rafael para vir aqui, mamãe. Aí, vocês falam sobre mim, sem eu estar presente para ouvir. Aproveita e chama o Heitor também, que adora falar essas baboseiras.

– Não é nenhuma baboseira, meu filho, falar sobre amor. Julian, pare de achar que todas as mulheres são iguais.

– Não, eu não acho que todas as mulheres são iguais! Só acho que eu sou diferente agora e não quero perder mais tempo com essas coisas. Tenho que ir, de verdade, mãezinha. 

Eu disse inquieto, enquanto beijava a testa de minha mãe. Saí da casa e fui aguardar Rafael no carro. Já estava começando a ficar irritado. Segundos depois ele apareceu. No caminho até a emissora, foi a minha vez de perguntar:

– Eu percebi que você gosta de falar de amor e sentimentos. Acha que eu deveria namorar Pietra. E quanto a você, por que está solteiro?

– Porque eu sou fiel aos meus sentimentos. Ainda amo uma mulher e não consegui esquecê-la para poder seguir em frente. Mas você já esqueceu sua paixão por Samantha e bem rápido por sinal!

– Paixão não, amor. Amei, mas agora percebi que isso é perda de tempo e que estou melhor solteiro.

– É porque você não a amava de verdade, Julian. Você estava apaixonado! Era mais atração física e sexual, não amor de verdade.

– Como você pode dizer se era ou não era amor de verdade, Rafael?

– Porque era nítido! Vocês mal conversavam, só brigavam. Quando estava com ela, você se sentia fadigado. Ela não acrescentava em nada à sua vida, só o colocava para baixo.

– Então essa mulher que você amou certamente era deslumbrante. Uma exceção, para te deixar assim ainda apaixonado.

– Na verdade, ela era sim. Mas ela mudou muito. Está irreconhecível!  Infelizmente eu ainda me recordo de como ela era quando eu a conheci e não no ser no qual ela se transformou.

– Eu conheço essa mulher, Rafael?

– Melhor não falarmos mais sobre isso. Luto diariamente para esquecer esse terrível amor.

– É Vera Salazar, não é?

Rafael começou a chorar e não conseguiu negar. Toquei na ferida, então não teve como esconder os seus sentimentos de mim. Contou-me tudo e realmente a história é inacreditável. A mulher, a qual ele diz amar, está completamente diferente agora. Na sua versão, ela era doce e ingênua. Os dois estavam no início de carreira quando se conheceram e viveram um amor desses de novela. Mas a beleza dela atraía todos e começou a enxergar tudo que poderia alcançar usando esse artifício a seu favor. Preferiu abandonar um amor verdadeiro, por conta da fama e posição social, além de muito dinheiro. Engravidou de Samantha, traindo Rafael com Ramiro, se condenando a viver uma vida notoriamente infeliz e amargurada. Ouvindo toda a história, não  compreendia como Rafael consegue amá-la depois de tudo isso. Se o amor é assim, mais um motivo para eu preferir nunca chegar a amar alguém. Meu amigo disse que um dia eu iria entendê-lo bem, quando eu realmente amasse alguém. Porém é preferível viver pra mim do que me aprisionar a um sentimento tão tolo. Já tenho um amor incondicional: o meu trabalho! Esse me faz muito bem. Prefiro manter o foco nos meus projetos. Assim, posso trabalhar em paz e me preparar para o sábado. Quero lotar aquele teatro de amigos e fãs, como nunca antes ninguém fez!

[Continua…]

Créditos:

WhatsApp Image 2020-05-07 at 2.56.37 AM
Debora Page

Texto: Debora Page – @escritora_deborapage

Edição: Juliana Peterson – @julianapeterson22

Revisão: Ana Paula Martins

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s