Entrevista com Fellipe Xenofonte

O entrevistado da semana é o Fellipe Xenofonte, ele é um dos participantes da 5ª temporada do reality show brasileiro Bake Off Brasil – Mão na Massa (SBT). Atualmente ele mora na cidade de Fortaleza – CE. Ator, Publicitário e Empresário hoje ele vai contar sua história na gastronomia e sua experiência no famoso reality de confeiteiros amadores do Brasil.

Fellipe (4) Crédito Gabriel Cardoso SBT

Emerson: Como sua historia começou?

Fellipe: Desde pequeno eu sempre fui de fazer muita coisa, na fase da adolescência eu não tinha um sonho definido: “Ai eu quero ser médico, advogado, etc”. Desde pequeno eu comecei a fazer teatro, fiz durante muitos anos da minha vida e me especializei na área. Na época eu ainda não cozinhava mas comecei a ver a minha mãe trabalhando com doces no tempo que eu estava perto de entrar na faculdade.

Minha mãe começou a fazer pães de mel para vender e as pessoas elogiavam bastante, eu vendia para poder pagar os custos do teatro nas viagens para São Paulo. Eu comecei a abrir os olhos em relação a confeitaria neste período, mas não me imaginava fazendo. Eu me formei em publicidade, sempre quis fazer um milhão de cursos, quis cursar direito, medicina, biologia, história, um nada a ver com outro (Risos), mas eu amava adquirir conhecimento, eu não tinha uma vontade especifica então optei por publicidade.

Minha mãe tem uma receita única de pão de mel que é só dela, ela não passa para ninguém. Ela tinha muita dificuldade de fazer tudo o que ela precisava fazer então acabou fechando a fábrica da família e quando eu retornei para fortaleza em 2014 eu estava desempregado e ela disse: Olha Fellipe eu vou te passar a receita dos meus pães de mel para você ter pelo menos uma renda, e eu só vou te ensinar uma vez, se você não aprender eu não vou te ensinar de novo”Ela fez e eu aprendi, mas a primeira vez que fiz deu tudo errado mas depois fui treinando e foi dando tudo certo. Logo depois eu comecei a trabalhar em uma empresa e comecei a vender esses doces no meu emprego e na igreja para os conhecidos. E foi assim que eu comecei.

Fellipe (3) Crédito Zé Paulo Cardeal SBT

Emerson: Você consegue se imaginar trabalhando em uma outra área fora a gastronomia?

Fellipe: Eu já trabalhei em outras áreas antes da culinária, mas hoje o que mais amo fazer é gastronomia, quero fazer bolos e doces, mas eu não descarto nada para o futuro, eu gosto de ter essas possibilidades. Eu sempre gostei de fazer de tudo e sempre gostei de tentar coisas novas, áreas novas, trabalhar em coisas diferentes, então estar trabalhando hoje na gastronomia é uma opção única para mim, mas quem sabe no futuro quais são as outras portas que serão abertas? Mas hoje somente gastronomia.

Emerson: Você tem projetos nesta área que pretende tirar do papel nos próximos anos?

Fellipe: Sim, muitos projetos. Um deles é de montar um atelier, um espaço para receber alunos e outro espaço para fabricar produtos. Alguns dos participantes tem feito algo similar e eu acho bem legal trazer um atelier para que os alunos tenham aulas e que eu também possa receber meus clientes. Outro projeto é de realizar aulas online, e fazer projetos sociais com os participantes do Bake-Off.

Emerson: Neste meio tem alguém que você se inspira?

Fellipe: Sim, várias pessoas. Beca Milano, a Beca com certeza é uma inspiração, o Luiz Toledo foi o finalista da segunda edição do reality de confeiteiros da RecordTV Batalha dos Confeiteiros, a Ana Eliza Salinas é uma pessoa que eu sempre estou acompanhando o trabalho dela e o Douglas Marchione que foi uma pessoa que me ajudou bastante no início da confeitaria. Mas a maior inspiração é minha mãe, foi ela que começou com os pães de mel que ela fazia para vender, foi ela que começou a despertar em mim mesmo sem forçar nada, mas por ver ela trabalhando, por ver os doces que ela fazia então eu comecei a pegar muito interesse por essa maravilhosa área que é a confeitaria.

Emerson: Sua família sempre te apoiou nas suas escolhas profissionais?

Fellipe: Sim, não foi difícil ter a aceitação da minha família nas minhas escolhas profissionais seja quando eu fui cursar a faculdade ou quando fui iniciar na confeitaria, acho que o mais difícil foi para mim mesmo porque como eu sempre me cobrei muito, eu sempre queria entregar o melhor que eu podia então as vezes quando não conseguia eu duvidava do meu potencial e da minha capacidade, então acho que a pessoa mais difícil de ser convencido das minhas escolhas profissionais foi a mim mesmo.

Fellipe (2) Crédito Zé Paulo Cardeal SBT

Emerson: Hoje em dia é comum homem trabalhar na gastronomia independente do segmento, mas você já passou por alguma rejeição ou indiferença de algumas pessoas?

Fellipe: Nunca passei preconceito por ser homem e trabalhar na gastronomia, hoje é algo bem comum é uma área que recebe bem tanto homem como mulher, eu senti talvez uma resistência das pessoas por eu ser jovem demais no segmento.

Emerson: Como foi seu processo de inscrição no reality?

Fellipe: Eu realizei minha inscrição durante a temporada 4 que passou no ano passado. Enquanto eu assistia a temporada passada a minha esposa sempre ficava falando para eu me escrever porque ela acreditou que eu tinha potencial para ganhar. Eu me inscrevi e esqueci da minha inscrição (Risos). Passou muito tempo e continuei assistindo a temporada, quando foi em abril desse ano eu recebi um e-mail do SBT dizendo que eles tinham tentado entrar em contato comigo e não tinham conseguido, eu fiquei desesperado porque eu vi que o numero era de São Paulo, pensei que era cobrança (Risos) e então todo o número do DDD 11 a partir de então eu atendia.

Foram 187.000 inscritos, jamais passaria pela minha cabeça de entrar no programa então teve desses 187.000 eles selecionaram 100 pessoas, eu fui até São Paulo levando um bolo de 3 andares, quase não embarco no avião, foi um desespero. Foi um processo bem legal de cerca de 2/3 meses até o resultado final. Depois que eu descobri que estava no Bake-Off foi surreal, foi um dos momentos mais felizes da minha vida, eu não tenho dúvida.

Fellipe (1) Crédito Zé Paulo Cardeal SBT

Emerson: Para finalizar qual frase ou música representa você?

Fellipe: Eu aprendi muito nesse período todo de Bake-Off e todas as coisas coperam para o meu bem tantos os momentos maravilhosos que eu vivi, quanto os momentos mais difíceis me ensinaram muito, todas as coisas, tudo o que  eu vivi coperou para que eu estivesse aqui hoje, para que eu crescesse cada vez mais e é isso, não posso parar de crescer mas eu posso aprender com cada uma das pequenas ou grandes situações.

Instagram: @fellipebakeoff

AGRADECIMENTO:

sbt-logo-1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s